COMITÊ DE RISCOS

PORTARIA Nº 203 DE 13 DE FEVEREIRO 2019

O Diretor-Presidente da Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores - AMPASS, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO os preceitos da Resolução Nº 3.922, de 25 de novembro de 2010, alterada pelas Resoluções nº 4.392, de 19 de dezembro de 2014 e nº 4.695, de 27 de novembro de 2018, ambas do Conselho Monetário Nacional - CMN, nos termos da Lei nº 9.717, de 27 de novembro de 1998, e da Portaria MF/SPREV Nº 519, de 24 de agosto de 2011,

R E S O L V E:

Art. 1º. Fica criado o Comitê de Riscos de Investimentos no âmbito da Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores - AMPASS, gerenciadora do Regime Próprio de Previdência Social - RPPS, do Município do Recife.

§ 1º O Comitê de Riscos de Investimentos de que trata este artigo 1º tem os seguintes objetivos:

I - a gestão de riscos dos ativos financeiros da carteira de investimentos do Fundo Previdenciário - RECIPREV;

II - a definição, execução e acompanhamento da política de riscos dos investimentos da carteira de investimentos do Fundo Previdenciário - RECIPREV.

§ 2º Os riscos nisto compreendidos são de mercado, de crédito, de liquidez, contraparte, operacional e de imagem.

Art. 2º. O Comitê de Riscos de Investimentos criado por esta Portaria será integrado pelos seguintes membros:

I - o Diretor-Presidente da AMPASS;

II - o Vice-Diretor Presidente da AMPASS;

III - até 03 (três) membros da Gerência de Investimentos da AMPASS, indicados pelo Diretor-Presidente;

IV - até 02 (dois) membros da área do Controle Interno da AMPASS, indicados pelo Diretor-Presidente.

Parágrafo único. Os membros do Comitê de Riscos de Investimentos preditos neste artigo 2º serão designados por Portaria do Presidente da Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores-AMPASS.

Art. 3º . Os membros integrantes do Comitê de Riscos de Investimentos, constituídos na forma do art. 2º desta Portaria, deverão, invariavelmente, atender aos seguintes requisitos mínimos:

I - possuir nível superior de escolaridade;

II - os relacionados nos incisos II e III, do art. 2º deverão possuir a Certificação mínima de CPA-20 da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais - ANBIMA, válida antes de assumirem as respectivas funções no Comitê de Riscos e, os indicados no inciso IV, a Certificação mínima de CPA-10 da ANBIMA;

Parágrafo único. A Certificação a que se reporta o inciso II deste art. 3º ocorrerá às expensas da Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores.

Art. 4º . As datas, locais e horários das reuniões do Comitê de Riscos de Investimentos serão divulgados para os seus membros, pela chefia da Unidade de Controle Interno, preferencialmente, por e-mail.

§ 1º As reuniões de que trata o caput deste artigo serão presididas pelo Diretor-Presidente da AMPASS e, no seu eventual impedimento, pelo Vice-Diretor Presidente, e se realizarão com um número mínimo de 04 (quatro) membros, sendo as proposições tomadas por maioria simples, cabendo ao Presidente da sessão, em caso de empate, o voto de minerva.

§ 2º As proposições do Comitê de Riscos de Investimentos que demandem movimentações de recursos financeiros, como resgates e/ou aplicações de recursos, devem ser submetidas ao Comitê de Investimentos ou Conselho Municipal de Previdência, conforme a alçada para deliberação.

Art. 5º Compete aos representantes da área de Controle Interno no Comitê de Riscos de Investimentos:

I - elaborar e manter sob sua guarda, o termo de posse dos respectivos membros;

II - preparar e distribuir a pauta das reuniões;

III - organizar e manter sob sua guarda, a documentação relativa às atividades desenvolvidas;

IV - controlar as pendências, conclusões e encaminhamentos de apreciações do Comitê, exceto quanto ao envio de proposições de investimentos ao Comitê de Investimentos que será feito pela Gerência de Investimentos.

Art. 6º . O Comitê de Riscos de Investimentos do RPPS do Recife, instituído por esta Portaria, guardará estrita observância às instruções, portarias e demais atos normativos em vigor ou que vierem a ser editados pela Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda; Comissão de Valores Mobiliários; Banco Central do Brasil; Conselho Monetário Nacional e demais órgãos ou entes federais competentes para dispor sobre a matéria, nos termos da legislação federal aplicável.

Art. 7º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Manoel Carneiro Soares Cardoso

Diretor Presidente

Clique aqui para baixar Portaria Nº 213, de 13 de fevereiro de 2019.